Translate

sábado, 15 de fevereiro de 2014

MAS DEUS



MAS DEUS...

Há muita gente que te ignora.
Entretanto, Deus te conhece.
Há quem te veja doente.
Deus, porém, te guarda a saúde.
Companheiros existem que te reprovam.
Mas Deus te abençoa.
Surge quem te apedreje.
Deus, no entanto, te abraça.
Há quem te enxergue caindo em tentação.
Deus, porém, sabe quanto resistes.
Aparece quem te abandona.
Entretanto, Deus te recolhe.
Há quem te prejudique.
Mas Deus te aumenta os recursos.
Surge quem te faça chorar.
Deus, porém, te consola.
Há quem te fira.
No entanto, Deus te restaura.
Há quem te considere no erro.
Mas Deus te vê de outro modo.
Seja qual for a dificuldade.
Faze o bem e entrega-te a Deus.

Chico Xavier

NO CAMINHO COMUM



No Caminho Comum


Diz o Egoísmo – exijo.
Diz o Evangelho – cooperarei.
Clama o Egoísmo – eu tenho e posso.
Clama o Evangelho – O Senhor lembrar-se-á de nós com a sua Bênção.
Pede o Egoísmo – entende-me.
Pede o Evangelho – deixa-me auxiliar.
Grita o Egoísmo – sou amado.
Afirma o Evangelho – amo.
Diz o Egoísmo – nunca mais.
Diz o Evangelho – servirei ao bem, sem descanso.
Assevera o Egoísmo – não suportarei.
Assevera o Evangelho – o Céu dar-me-á resistência.
Clama o Egoísmo – jamais perdoarei.
Clama o Evangelho – desconheço o mal.
Diz o Egoísmo – tudo é meu.
Diz o Evangelho – tudo é nosso.
O Egoísmo reclama.
O Evangelho sacrifica-se.
O Egoísmo absorve.
O Evangelho se espalha em doações.
O Egoísmo recolhe para si.
O Evangelho semeia com amor, a benefício de todos.
O Egoísmo precipita-se.
O Evangelho espera.
O Egoísmo toma posse.
O Evangelho auxilia.
O Egoísmo proclama: - eu.
O Evangelho apregoa: - nós.
É fácil conhecer a nossa posição dentro da vida.
Pelas nossas próprias atitudes, no caminho comum, nas relações habituais de uns para com os outros sabemos, em verdade, se ainda estamos na noite do personalismo delinqüente ou se já estamos atingindo a alvorada renovadora com o inolvidável Mestre da Cruz.

André Luiz.

A AURA DO AMOR



Aura de Amor


Cada um de nós trás nas entranhas de si mesmo, a presença de Deus.

Pai por excelência, habita em cada criatura e, portanto, trazemos o selo divino impresso em nossa consciência, indicando Nossa Paternidade.

O reconhecimento da presença divina em nós e nos outros desabrocha, no indivíduo, o mais nobre dos sentimentos da alma, o amor, que se define como sendo a atmosfera de Deus em torno de nós próprios.

Portanto, ao enxergarmos a profundidade de cada criatura, identificaremos, ali, esta semente divina, espargindo vibrações de estreitamento dos laços afetivos, formando, assim, uma aura de amor e, em seguida, consciência profunda desta realidade ímpar.

Desta forma, seremos cada vez mais amorosamente condescendentes para conosco e para com os outros.

Hammed

ARREPENDIMENTO



Arrependimento...

Meus irmãos, o arrependimento é a mais nobre atitude que um ser pode ter.
O arrependimento faz com que passemos a crer em Deus, passemos a ver as coisas por um ângulo melhor, vermos que a mão de Deus está em tudo.
Vemos a beleza das flores, dos pássaros, o trabalho das formigas, o mel das abelhas.
O arrependimento faz com que nós também passemos a trabalhar, pois se tudo se movimenta, tudo trabalha.
Porque queremos um céu onde não faríamos nada?
Mãos á obra.
O trabalho nos espera, vamos ajudar quem precisa, do mesmo jeito que somos ajudados, só assim vamos evoluir na seara do mestre.

De um amigo que se arrependeu...
A todos os amigos da Fraternidade

( Psicografia)

DISCERNIMENTO

Discernimento

Os defeitos mais arraigados são
aqueles que tomamos à feição de qualidades.

É preciso discernir:

Apresentação e vaidade;

Brio e orgulho;

Serenidade e indiferença;

Correção e frieza;

Humildade e subserviência;

Fortaleza e segurança de coração.

Quando algum sentimento nos induzir a parecer melhor ou mais forte que os outros, é chegado o momento de procurar a nossa própria realidade, para desistir da ilusão.

De que serve a felicidade dos felizes quando não diminui a infelicidade dos que se sentem menos felizes?

André Luiz

SE VOCÊ PUDER


Se você puder

Se você puder, hoje ainda:
olvide contratempos e mostre um sorriso mais amplo para aqueles que lhe compartilham a vida;
dê mais um toque de felicidade e beleza em seu recanto doméstico;
faça a visita, mesmo ligeira, ao doente que você deseja reconfortar;
escreva, inda que seja simples bilhete, transmitindo esperança e tranqüilidade, em favor de alguém;
melhore os seus conhecimentos, no setor de trabalho a que esteja empregando o seu tempo;
estenda algo mais de otimismo e de alegria aos que se encontrem nas suas faixas de convivência;
procure esquecer — mas esquecer mesmo — tudo o que se lhe faça motivo de tristeza ou aborrecimento;
leia alguma página edificante e escute música que pacifique o coração;
dedique alguns minutos à meditação e à prece;
pratique, pelos menos, uma boa ação sem contar isso a ninguém.
Estas indicações de apoio espiritual, se forem observadas, farão grande bem aos outros, mas especialmente a você mesmo.

Chico Xavier

A MELODIA DO SILÊNCIO





Repara a melodia do silêncio nas criações divinas.

No Céu, tudo é harmonia sem ostentação de força.
O Sol brilhando sem ruído.

Os mundos em movimento sem desordem.

As constelações refulgindo sem ofuscar-nos.

E, na Terra, tudo assinala a música do silêncio,

exaltando o amor infinito de Deus

A semente germinando sem bulício.

A árvore ferida preparando sem
revolta o fruto que te alimenta.

A água que hoje se oculta no coração da fonte,
para dessedentar-te amanhã...

O metal que se deixa plasmar no fogo vivo
para ser-te mais útil...

O vaso que te obedece sem refutar-te as ordens.

Que palavras articuladas lhes definiriam a grandeza?

É por isso que o Senhor também nos socorre,
através das circunstâncias que não falam,

por intermédio do tempo, o sábio mudo.

Não quebres a melodia do silêncio,

onde tua frase soaria em desacordo com a Lei de Amor
que nos governa o caminho!

Admira cada estrela na luz que lhe é própria.

Aproveita cada ribeiro em seu nível.

Estende os braços a cada criatura dentro da verdade que
lhe corresponda à compreensão.

Discute aprendendo, mas, porque desejes aprender,
não precisas ferir.

Fala auxiliando, mas não te antecipes ao juízo superior,
veiculando o verbo à maneira do azorrague inconsciente
e impiedoso.

“Não saiba tua mão esquerda o que deu a direita”
– disse-nos o Senhor.

Auxilia sem barulho onde passes.

Recorda a ilimitada paciência do Pai Celestial para com as
nossas próprias faltas e ajudemos,

sem alarde, ao companheiro da romagem terrestre que,
muitas vezes, apenas aguarda o socorro

de nosso silêncio, a fim de elevar-se
à comunhão com Deus.

Meimei