Translate

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

AS EQUIPES MEDIÚNICAS ESPÍRITAS

 
 
AS EQUIPES MEDIÚNICAS ESPÍRITAS

       As atividades das equipes mediúnicas nos Centros Espíritas são de fundamental importância para a solução de problemas psíquicos, desenvolvimento, educação da personalidade mediúnica e atendimento desobsessivo dos seus integrantes com uma perspectiva socorrista para os Espíritos sofredores e perturbadores que renteiam na esfera de ação dos encarnados.
         Todas as Instituições espíritas precisam destas atividades para manterem inclusive a coesão de pensamento nos ideais de enobrecimento das criaturas humanas, que se propõem a trabalhar pela causa do amor ao próximo e sofrem as investidas de Espíritos malévolos, empenhados em criar desentendimentos e malquerenças nas hostes espiritistas.
          Por esta razão, o bom senso recomenda que a prioridade na composição da primeira equipe mediúnica, de qualquer Centro espírita, deve recair sobre aqueles que fazem parte da Diretoria em exercício, presumindo-se que todos esses possuam conhecimento doutrinário razoável, vida moral sadia e estejam integrados às tarefas de promoção humana.
parte de um trecho de:
          Artigo da Autoria de José Ferraz, trabalhador da Mansão do Caminho, Salvador/Ba

TERAPIA PARA O STRESS

 
Terapia para o estresse
A crença na vida futura, por conseqüência, na imortalidade do Espírito e na sua destinação gloriosa, constitui a mais adequada autoterapia preventiva em relação ao estresse, bem como para a sua superação.
Isto porque, ultrapassando os limites imediatistas da existência orgânica, essa convicção dilata a perspectiva de felicidade, demonstrando que, não sendo conseguida de imediato, sê-lo-á, sem dúvida, um passo à frente, em ração da dilatação do tempo e da realidade no Mais Além, facultando realizações contínuas, ricas de experiências negativas e positivas que definem o rumo da plenitude.
Mediante essa atitude mental e emocional surge a alegria, em face de demonstrar que a dificuldade de hoje é o prelúdio da conquista de amanhã, qual ocorre com a flor que se estiola para libertar o fruto e a semente que nela jazem adormecidos.
Ao invés de uma existência linear, que se inicia no berço e termina no túmulo, essa decorre da vida em si mesma, que é preexistente e sobrevivente à disjunção molecular, resultando em aprendizagem contínua, na qual sucedem-se êxitos e aparentes fracassos que culminam em conquistas insuperáveis.
Ninguém consegue atingir qualquer meta que delineie sem passar por acertos e erros, elegendo os processos favoráveis e eliminando aqueles equivocados, sem desanimar, insistindo até a realização dos seus objetivos.
Desse modo, a fé no futuro acalma as aflições momentâneas sem o apoio do conformismo doentio, porém, proporcionando a coragem para vencer os impositivos perturbadores da atualidade.
Essa postura impede a instalação da ansiedade, em considerando-se a grandiosidade do tempo sem o imediatismo da ilusão. Ao mesmo tempo, enseja uma planificação de largo porte, sem os incômodos da angústia ou da precipitação.
As tensões, nada obstante, apresentam-se inevitáveis, em razão do curso dos acontecimentos que não pode ser detido. Superada uma ocorrência, logo outra acerca-se, isto quando não se atropelam na velocidade dos fenômenos humanos.
A maneira, porém, como são analisadas para serem aceitas, respondem pela emoção com que são enfrentadas.
Quando o individuo se educa na compreensão dos deveres que abraça, deduz de imediato, quantos esforços devem ser envidados, a fim de que  se consumem com eficiência os resultados em pauta. Programa, então, como enfrentar cada fase, a forma de executar cada tarefa, evitando-se a fadiga excessiva, o desgaste emocional, a irritabilidade que decorrem normalmente, da indisciplina e da rebeldia no trato e na convivência com as demais pessoas, com os deveres assumidos.
Quando ocorrem situações estressantes que são normais, de imediato cabe-lhe a renovação de idéias, a mudança de realização, a busca do refúgio na prece renovadora, que robustece de energias psíquicas e emocionais, vitalizando os sistemas físico e psicológico, momentaneamente afetados.
O ser humano necessita do trabalho que o dignifica, mas também do repouso que lhe renova as forças e faculta-lhe reflexões para bom e compensador desempenho.
Desse modo, é impositivo para a preservação ou conquista da saúde, que se estabeleçam períodos para férias, para relaxamento emocional, para mudanças de atividades, para exercícios físicos liberadores das tensões orgânicas e psicológicas,  agilizando o corpo mediante caminhadas, massagens, natação com a mente liberada dos problemas constritores.
É justo que o ser humano não olvide dos limites da sua condição de reencarnado, portanto sob imposições do carro orgânico, evitando os sonhos de super-homem, que alguns se atribuem.
Musicoterapia e socorro fraternal ao próximo, representam igualmente recursos valiosos para que a pessoa desencarcere-se da carga tensional e experimente alegria de viver e de servir, sentindo-se útil.
Ioga e meditação, acupuntura e outros recursos valiosos, denominados alternativos contribuem eficazmente para o relax, a renovação das energias gastas.
Sempre quando alguém se oferece ao Bem, ei-lo tocado pelos eflúvios da saúde e da harmonia, auto-realizando-se e aos demais ajudando.
A busca da beleza, sob qualquer aspecto considerada, contribui para o retorno ao bem-estar, superando o estresse e a inquietação.
Apesar desses recursos, se o paciente permanecer em transtorno por estresse, não deve adiar a assistência do psicoterapeuta, a fim de evitar a instalação de problemas neuróticos mais graves.
Esforçar-se por viver com alegria em qualquer conjuntura é terapia preventiva e libertadora para os males do estresse.

FRANCO, Divaldo. Conflitos Existenciais.  Pelo Espírito Joanna de Ângelis.  Salvador BA, LEAL 2005. p. 187-189.

PARÁBOLAS DE JESUS



Parábola é uma narrativa, imaginada ou verdadeira, que se apresenta com o fim de ensinar uma verdade. Difere do provérbio neste ponto: não é a sua apresentação tão concentrada como a daquele, contém mais pormenores, exigindo menor esforço mental para se compreender. E difere da alegoria, porque esta personifica atributos e as próprias qualidades, ao passo que a parábola nos faz ver as pessoas na sua maneira de proceder e de viver. E também difere da fábula, visto como aquela se limita ao que é humano e possível.
O emprego contínuo que Jesus fez das parábolas está em perfeita concordância com o método de ensino ministrado ao povo no templo e na sinagoga. Os escribas e os doutores da Lei faziam grande uso das parábolas e da linguagem figurada, para ilustração das suas homilias. Tais eram os Hagadote dos livros rabínicos. A parábola tantas vezes aproveitada por Jesus, no Seu ministério (Mc 4.34), servia para esclarecer os Seus ensinamentos, referindo-se á vida comum e aos interesses humanos, para patentear a natureza do Seu reino, e para experimen­tar a disposição dos Seus ouvintes (Mt 21.45; Lc 20.19). As parábolas do Salvador diferem muito umas das outras. Algumas são breves e mais difíceis de compreender. Algumas ensinam uma simples lição moral, outras uma profunda verdade espiritual.
Estas são as parábolas proferidas por Jesus:

01 – O Semeador
Mateus 13.5-8
02 – O Joio
Mateus 13.24-30
03 – O Grão de Mostarda
Mateus 13.31,32
04 – O Fermento
Mateus 13.33
05 – O Tesouro Escondido
Mateus 13.44
06 – A Pérola
Mateus 13.45,46
07 – A Rede
Mateus 13.47-50
08 – A Ovelha Perdida
Mateus 18.12-14
09 – O Credor Incompassivo
Mateus 18.23-35
10 – Os Trabalhadores da Vinha
Mateus 20.1-16
11 – Os Dois Filhos
Mateus 21.28-32
12 – Os Lavradores Maus
Mateus 21.33-46
13 – As Bodas
Mateus 22.1-14
14 – As Dez Virgens
Mateus 25.1-13
15 – Os Talentos
Mateus 25.14-30
16 – A Semente
Marcos 4.26-29
17 – Os Dois Devedores
Lucas 7.41-43
18 – O Bom Samaritano
Lucas 10.25-37
19 – O Amigo Importuno
Lucas 11.5-8
20 – O Rico Louco
Lucas 12.16-21
21 – A Figueira Estéril
Lucas 13.6-9
22 – A Grande Ceia
Lucas 14.16-24
23 – A Drácma Perdida
Lucas 15.8-10
24 – O Filho Pródigo
Lucas 15.11-32
25 – O Administrador Infiel
Lucas 16.1-9
26 – O Rico e Lázaro
Lucas 16.19-31
27 – Os Servos Inúteis
Lucas 17.7-10
28 – O Juiz Iníquo
Lucas 18.1-8
29 – O Fariseu e o Publicano
Lucas 18.9-1
4

O HOMEM DO BEM

A PAZ EM TI












"É muito importante a paz.
Governos a estalecem formentando guerras,gerendo pressões,submetendo as vidas que se estiolam sob jugos implácaveis.
A paz é imposta,desta forma,pelas armas,mediante a coação e depois negociada em gabinetes.
Vem de fora e aflige,porque é aparente.
faz-se delegal,mas nem sempre é moralizada.
Tem aparência das águas pantanosas,tranquilas na superfície,mias-
máticas e mortíferas da parte submersa.
assim se apresenta a paz do mundo:transtória,enganosa.
a paz legítima emerge coração feliz e da mente que compreenda,age,e confia.
Érealizada em clima de prece e de amor,porque, da consciência que se ilumina ante os impositivos das divinas leis,surge a harmonia que
fomenta a dinâmica da vida realizadora.
Essa paz não se turba, é permanente.Não se permite constrangimentos,nem se faz imposta.
Cada,homem a adquire a esforço pessoal,como coroamento da ação bem dirgida,objetivando ideias.
Não basta, no entanto, programar e falar da paz. Mas,visualizando-a, pensar em paz e agir pacificação,exteririzando-a de tal forma que ela estabele~ça onde estejas e com quem te encontres.
Seja a paz,na Terra o seu anseio, em oração constante, que se transforme em realização,operante como resposta de DEUS.
Orando pela paz, esse sentimento te invade, e o amor que DEUS se
irradia,anula todo e qualquer conflito que te domine momentaneam.
A paz em ti ajudará produzir a paz do mundo,"

 FONTE:

Paz em Ti - Joanna de Ângelis


A SEMEADURA


Há quem passe pelo bosque e só veja lenha para fogueira.”
(Leon Tolstoi)
                                                                                                     
O que importa é a experiência em prol do crescimento, não a punição, o castigo.

Dois náufragos estavam já havia uma semana numa ilha deserta. Abatidos pelo cansaço, estresse, sede e uma aguda fome, já pressentiam o pior. Um deles, mais desesperado, prostrou-se de joelhos à beira do mar e pôs-se a rezar, como já não fazia desde criança:

- Meu Deus, me ajude por favor. Não quero morrer. Mande-nos socorro. Sei que não tenho sido um ótimo cristão, mas prometo que se for salvo serei uma pessoa melhor. Não serei mais um egoísta, não trairei mais minha mulher, não serei um maledicente, doarei todos os meus bens para instituições de caridade.

- Ei, para! Gritou o outro náufrago.
- Para de te comprometer que lá vem um barco. Que figura.!

Adeptos ou não de uma teoria ou crença, todos nós temos uma visão do universo e sobre os fenômenos da vida. Essa visão é que explica os fatos e influencia diretamente sobre nosso modo de pensar e agir. Para muitos o que vale é o esforço do homem. Ele é o senhor do seu destino, independentemente de qualquer coisa. Para outros, somos reféns do destino, já nascemos com sorte ou azar, pouco ou nada importando nossos esforços. Muitos acreditam em milagres, na miraculosa intervenção divina em favor de nossas vidas. Outros ainda acham que o acaso é o senhor da vida e que procurar uma ordem ou razão superior para a vida é pura quimera.

Todas as crenças merecem respeito. Vejamos a visão espírita.

  Como funciona o universo?
  Ele é aleatório? Irracional?
  Muda conforme as circunstâncias?

Não, o universo não é aleatório, mas sábio e estável.

Em verdade, o universo é retributivo. Quer isso dizer que existem leis eternas e imutáveis que criam circunstâncias adequadas para a evolução espiritual, para que avancemos aprendendo. Uma dessas leis é a lei de causa e efeito.

A melhor explicação para esta lei está no evangelho: “a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.”

Ou seja, nossas ações ecoam no universo que, por ser retributivo, devolverá à sua fonte de ação os efeitos - bênçãos ou sofrimentos - correspondentes. Não se planta pimenta para se colher morangos. A cada um segundo suas obras, ensinou Jesus.

A lei de causa e efeito está na base da Justiça Divina.

Não sem razão que Jesus advertiu Pedro, quando este quis reagir à sua prisão: “embainha tua espada Pedro, quem com a espada ferir, com a espada será ferido.”

Então você poderá me questionar:

  Se é assim, por que muitos criminosos levam a vida numa boa?
  Por que pessoas perversas não têm um fim com proporcional sofrimento?
  Por que tantas pessoas de bem são vitimadas por padecimentos atrozes?

Ninguém, absolutamente ninguém escapa da Justiça Divina e neste conceito entram as provas e as expiações, assunto a ser tratado noutro momento.

Quando se pratica uma ação, desencadeia-se uma reação retributiva no universo. Ou seja, provoca-se um efeito que inicia curso em direção à sua fonte de ação. Quando, como e através do que ou de quem este efeito se concretizará ninguém sabe dizer. Certo, apenas, é que ele virá, disso não há qualquer dúvida. Nem acaso, nem destino, retribuição.

Quanto a questão acima, importa entender que a Justiça Divina não se restringe ao plano material. Todos os dias, grupos mediúnicos acessam regiões de expurgo espiritual, onde os efeitos se fazem sentir sobre espíritos comprometidos com as leis divinas, que aprendem o preço das perversidades, do mal. De lá ecoam as vozes que descrevem a força da lei. Não, não é o inferno. Este conceito não está associado a um lugar geográfico, a chifres e chamas, mas ao estado de espírito do ser, feliz ou infeliz com sua condição.

Por isso Paulo, o grande apóstolo, ensinou com precisão: “tudo posso, mas nem tudo me convém.”

Da mesma forma, mas em sentido oposto, quando se pratica o bem, o universo não conspira não. Ele retribui. Por isso, Emmanuel, o guia de Chico Xavier, ensinou: o bem que fazes é teu advogado em todo lugar. Esse o sentido do buscai e achareis, princípio crístico que tem correspondência ao karma das tradições budistas e hinduístas, que em seu conceito oriental, sânscrito, corresponde à acto ou acção.

Três esclarecimentos são importantes para compreensão da dinâmica da lei de causa e efeito:

  Sobre as penas eternas;
  Sobre a lei de compensação;
  Sobre o caráter não linear da lei de causa e efeito.

Primeiro, cumpre esclarecer que não existem penas eternas. Ninguém é condenado ao céu ou ao inferno e de lá não sai mais. Isso seria negar a bondade e misericórdia divina.

Como viveria uma mãe no céu sabendo que seu amado filho foi condenado ao inferno eternamente?

Essa interpretação serviu para impor a fé pelo medo. Está ultrapassada. Através de outra lei, a da reencarnação, o espírito tem sucessivas chances, recebendo um corpo, uma família, um trabalho e as circunstâncias de sua vida, conforme “suas obras”. Esse conjunto de fatores e circunstâncias serão as mais adequadas à sua evolução. É sua nova chance.

Por exemplo, o prepotente reencarnará para ser provado em situações humilhantes, terá fracassos, decepções e freios à sua vaidade, cruzará recorrentemente com pessoas prepotentes – até pela lei de afinidade -, para aprender a ser humilde, manso, simples.

  O avaro:
- provará as necessidades, a pobreza, a perda de bens, para aprender o desapego.

O egoísta:- será golpeado em sua individualidade e personalismo, provará a solidão, o isolamento, precisará da ajuda de grupos, de equipes, para aprender o valor do conjunto, do repartir, do pensar no outro.

Cada um receberá do universo as condições ideais para que cresça. Na medida que se melhora, atrai pessoas e situações afins. Bem atrai o bem, mal atrai o mal. Logo, se aproveita sua nova chance, não precisará passar por tão duras provas e expiações. Assim é a dinâmica geral, com múltiplas variantes e combinações. Ou seja, não há penas eternas, a cada reencarnação, o aluno recebe as lições adequadas a seu grau de evolução.

Outro esclarecimento é que a lei de causa e efeito não é linear. Ou seja, se você fez alguém perder um braço, não necessariamente você perderá um braço.

Isso é lei do Talião: olho por olho, dente por dente. A lei de Deus é sábia e bondosa. O universo forja uma dinâmica onde o que importa não é devolver um castigo, uma punição, mas propiciar um crescimento. Quando Jesus advertiu Pedro para que embainhasse sua espada, referia-se ao valor moral de forma figurada. Quem pela espada (orgulho, por exemplo) ferir, pelo orgulho será ferido. A lei dá condições adequadas para que o espírito perceba e entronize, por sua própria vivência – maravilhosa ou tormentosa – as diferenças entre o bem e o mal para saber exercitar seu livre arbítrio. O que importa é a experiência em prol do crescimento, não a punição, o castigo.

Por fim, um derradeiro esclarecimento:

Ao contrário do que ensina o Budismo, o carma – resultado da lei de causa e efeito – não é irreversível. Deus, em sua bondade, permitiu-nos amenizar ou mesmo neutralizar o efeito que desencadeamos no universo através da lei de compensação. Podemos compensar nossos atos maus, com novos atos bons.

Por isso que Gandhi palestrou com precisão, que um homem que ama neutraliza milhões que odeiam e Jesus assinalou que o amor move montanhas. Não se reportava a um acidente geológico, mas a montanhas de “pecados”, os carmas que geramos. Há quem pense que, sendo assim, pode fazer o que quiser e depois praticar a caridade para compensar. São muitas as mensagens do plano espiritual que vaticinam que o que vale é a intenção. Caridade interesseira é nula.

O espírita-cristão, na medida que conhece a dinâmica do universo, melhor compreende a vida e, embora falível, pensa mil vezes antes de praticar atos que prejudiquem a si, ao próximo, à sociedade, à natureza, pois sabe que dispara efeito no universo que irá alcançá-lo, cedo ou tarde. Portanto, o mal que faz a outrem a si mesmo se faz. Por isso, luta para ser uma pessoa melhor, compreende que a vingança tem efeito bumerangue e lhe atrasa a evolução, aprende a se resignar e não reclamar das dificuldades, sabe que não existe injustiça e que podemos plantar nosso futuro, semeando agora.

Avalie o que você recebeu do universo até este momento e poderás ter superficial noção sobre o que você semeou. Examine o que você está fazendo na atual vida e poderás vislumbrar a futura retribuição que receberás.

Ah, e se você um dia ficar ilhado e for socorrido, não seja ingrato, agradeça, pois embora o universo não seja rancoroso, é sábio e retributivo.
 

OREMOS POR ALGUÉM

   http://www.lovers-poems.com/cards/media/x50a9bb50a1cee_espanol-catolico-virgen-3.jpg.pagespeed.ic.RwS1I9FzTM.jpg

TUDO QUE PEDIRES EM ORAÇÃO

domingo, 29 de setembro de 2013

OUÇA RÁDIO com lindas músicas religiosas

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

FICO TRISTE

É PRECISO

O MAL

CRIAÇÃO

PALAVRAS

CORAGEM

Coragem, peregrino do pecado! Volta ao ponto de partida e reconstrói o teu destino e virtualiza o teu caráter aos embates remissores da Dor Educadora! Sofre e chora resignado, porque tuas lágrimas serão o manancial bendito onde se irá dessedentar tua consciência sequiosa de paz!

Memórias de um suicida – pt. 3, cap. 7.


PRIMAVERA DE ESPERANÇA

 


Meus filhos:

Que Jesus nos abençoe!


Ouve-se o clamor das multidões desvairadas, enquanto a ciência e a tecnologia alcançam o apogeu das suas conquistas.


Sente-se o estupor da aflição das almas, enquanto se realizam atividades nobilitantes na área do conhecimento e das experiências intelectuais.


Em toda parte o desespero cavalga as vidas, levando o transtorno à cultura e à civilização que parecem ameaçadas nas suas bases.


Sucede, que o homem moderno, enriquecido pelas informações que vem perseguindo através dos séculos, lentamente mergulha no caos de si mesmo.


As religiões, embora seus propósitos respeitáveis, amortalharam nos rituais, nos cultos, na pompa transitória, a mensagem trazida por Jesus ao Ocidente. E, no Oriente, as disputas pela primazia das interpretações do pensamento ancestral, distanciam a criatura do Criador, facultando que se instalem o materialismo, a loucura e os vícios...


Ao Espiritismo cabe a tarefa indeclinável de restaurar a proposta de Jesus nestes turbulentos dias de glórias do conhecimento e de decadência do sentimento.


A vós, vos cabe, à semelhança dos cristãos primitivos , a tarefa de insculpir no coração e na conduta, as lições gloriosas de Jesus, para que, lentamente, uma primavera de esperança diminua os tormentos que avassalam a Terra.


Os Espíritos do Senhor trombeteiam a verdade em toda parte.


Allan Kardec incumbiu-se de decodificar o pensamento que verteu do céu em direção à Terra.


E vós outros tendes a tarefa de espalhar a mensagem de libertação, a fim de que o amor, por definitivo, expulse do planeta a guerra, as paixões primitivas, o cárcere das viciações e o ódio.

Espíritas, filhos da alma !

Não desanimeis! Mantende-vos unidos, para levardes o compromisso que firmastes com o Senhor, ampliando os horizontes da fraternidade entre os homens e colocando nas vidas a chama da crença na imortalidade.


Não aponteis obstáculos; não relacioneis dificuldades!


Ainda vivemos os dias do martírio para quem ama Jesus.


As arenas ampliaram seus limites e as feras estão nas vossas almas, produzindo este choque que vos leva a verter lágrimas, a padecer incompreensões, a experimentar angústia! Mas não receeis – Jesus está adiante!


Ele vos inspira através dos Seus mensageiros, tem conversado convosco mediante a revelação do Espiritismo, conscientizando-vos dos deveres da alma.


Permanecei fiéis, colocando de lado os sentimentos egoístas.


...E segui avante, afáveis, amigos, confiantes nos objetivos a conquistar, na certeza de que o Senhor está convosco.
Aqui estamos, aqueles que vos amamos, para que não vos sintais debilitados na luta nem sejam diminuídas as forças do entusiasmo para prosseguir.

Sigamos adiante, meus filhos, com Jesus, por Jesus e para Jesus!


Que Ele mesmo nos abençoe e nos guarde!


São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre,


Bezerra
Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em reunião mediúnica de diversos Grupos Espíritas, em Londres, Inglaterra, na noite de 17 de junho de 1998.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

A LEI DA VIDA

A VIDA É ETERNA

A ORAÇÃO

A DESILUÇAÕ

O PROGRESSO DA HUMANIDADE

O SONHO E A ESPERANÇA

QUANDO O HOMEM

ESTIME A SOLIDARIEDADE

O CRISTÃO

NEM SEMPRE TENHO PALAVRAS



 
 

Nem sempre tenho palavras
e nem ao menos palavras bonitas,
mas saiba que sempre serão
palavras verdadeiras.

(Pablo Neruda))

 

NOTE



Note que a felicidade está chamando
o seu coração para vida nova.
Quando o céu estiver em cinza,
a derramar-se em chuva, medite
na colheita farta que chegará do
campo e na beleza das flores
que surgirão no jardim.



(A.D)

O IDEAL



O ideal não se define;
Enxerga-se por clareiras
que dão para o infinito.



Rui Barbosa (Palavras à juventude)

O AQUI E AGORA




O aqui e o agora

"O minuto que você está
vivendo agora
é o minuto mais importante
de sua vida,
onde quer que você esteja.
Preste atenção ao que está fazendo.
O ontem já lhe fugiu das mãos.
O amanhã ainda não chegou.
Viva o momento presente
porque dele depende todo
o seu futuro.
Procure aproveitar ao máximo
o momento que está vivendo,
tirando todas as vantagens
que puder para seu aperfeiçoamento".




D.A

OS ANJOS

 
O
Os anjos ainda viajam
na Terra com as asas
escondidas.



Eça de Queiroz

SOLUÇÃO PARA NÃO SE PENSAR EM SI PRÓPRIO



A solução para não pensar
muito em si é ajudar alguém
que esteja numa situação pior.



Sylvia Plath

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

SE EU MORRER ANTES DE VOCÊ


SE EU MORRER ANTES DE VOCÊ

Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:
Chore o quanto quiser, mas não brigue comigo.
Se não quiser chorar, não chore;
Se não conseguir chorar, não se preocupe;
Se tiver vontade de rir, ria;
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão;
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me;
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam;
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo...
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:
-"Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!"
Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.
Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia, e que morra como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu.
"Ser seu amigo, já é um pedaço dele..."


Chico Xavier
Fonte desconhecida - texto retirado da internet